Saiba como calcular lucro operacional corretamente

Team Pipefy
Profissional digita no teclado de um laptop

Você mede o lucro operacional da sua empresa? Conhece a importância desse indicador?

Basicamente, essa forma de lucro serve para demonstrar qual é a rentabilidade que o negócio tem a partir de suas operações. Ou seja, trata-se de um resultado ligado à atividade-fim da organização, que desconsidera os ganhos com outras práticas de arrecadação.

Mas afinal, por que o cálculo é útil e quais são os principais meios de realizá-lo? Entenda melhor o assunto a seguir.

O que é o lucro operacional de uma empresa? 

Como citamos acima, o lucro operacional é aquele que só corresponde às operações realizadas pelo negócio.

Ele visa determinar a lucratividade, mas desconsiderando o que não está associado às atividades centrais da organização. Sendo assim, para realizar o cálculo, as deduções consideram apenas o que é indispensável para a manutenção operacional da empresa. 

Portanto, são descontadas da receita só despesas comerciais, operacionais e administrativas, como:

  • Investimentos com infraestrutura;
  • Pagamento de mão de obra;
  • Aquisição de materiais;
  • Marketing e suporte;
  • Contratação de fretes;
  • Contas como água e energia;

Em resumo, o lucro operacional é um resultado calculado levando em conta apenas o que é fundamental para o negócio funcionar. Assim, ele só considera seus processos centrais.

Qual a diferença entre lucro operacional bruto e lucro operacional líquido?

Tanto o lucro operacional bruto quanto o líquido fazem parte da rotina financeira da uma empresa. No entanto, eles têm finalidades diferentes.

O lucro operacional bruto também é conhecido como o lucro das vendas, e é a receita obtida em relação aos custos variáveis como, por exemplo, matéria-prima, custos de produção, comissões e outros insumos.

É um lucro operacional que tem ligação direta com os custos de produção. Portanto, na prática, se a quantidade do item produzido sobe, consequentemente, o custo para a produção também subirá.

O lucro operacional bruto não considera as depesas fixas (salário de funcionários, contas de água, luz, telefone, etc.), despesas comerciais (marketing e publicidade, comissões, entrega, entre outros) e despesas administrativas (contratações, materiais para escritório, benefícios e afins).

Já o lucro operacional líquido é o resultado da subtração de todos os custos de uma empresa. É a última linha da Demonstração do Resultado do Exercício (DRE). É o resultado que pode ser convertido em caixa, ou seja, é o lucro real da empresa.

O lucro líquido considera todos os custos da empresa, incluindo variáveis e fixos, e também impostos, salários, energia elétrica, tudo que é independente da produção.

Qual a diferença entre lucro operacional, EBIT e EBITDA?

O EDIT e o EDITDA mostram os lucros e prejuízos de uma empresa e são dois indicadores que interessam principalmente os investidores. Isso porque é por meio deles que é possível ter uma ideia da saúde financeira do negócio.

Eles dão uma visão ampla da gestão financeira e ajudam a definir estratégia para manter a situação das contas da empresa em equilíbrio.

Já o lucro operacional é toda a receita com as despesas operacionais e o retorno obtido a partir da atividade principal, como você vai descobrir mais ao longo desse artigo.

  • EBIT: a sigla de Earnings Before Interest and Taxes. A tradução livre para o português seria algo como “lucros antes dos juros e tributos”. É um indicador que mostra a lucratividade da empresa antes de considerar as despesas com impostos e juros. Contabiliza apenas o lucro com a atividade principal da empresa, sem considerar investimentos financeiros, capital ou outros rendimentos.
  • EBITDA: a sigla de Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization. Sua tradução é algo como “lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização”. O que o EBITDA faz é mostrar para os investidores se a empresa consegue gerar receita através da atividade principal. Também é um indicador que avalia o caixa de acordo com as despesas e receitas, mostrando o quanto a empresa gera de rentabilidade sem incluir impostos pagos, investimentos realizados e empréstimos feitos. Verifica fatores como competitividade, produtividade e eficiência, fazendo uma avaliação de qualidade de desempenho de maneira limpa.

A diferença entre EBIT e o EBITDA é que o primeiro leva em consideração as depreciações e amortizações durante o cálculo. O segundo não considera esses dois fatores para chegar ao resultado.

Por que é importante calcular o lucro operacional?

O lucro operacional é o responsável por medir o desempenho da gestão de um negócio ao longo do tempo, além de fornecer informações essenciais para a análise de potenciais investidores.

Este é um dos primeiros indicadores que investidores futuros e empresas fornecedoras de crédito solicitam para uma empresa que solicita dinheiro de terceiros. Com esses dados, eles conseguem ter uma ideia do quanto o negócio lucraria apenas realizado a sua atividade-fim.

Além de ser um demonstrativo para pessoas que são de fora empresa, o lucro operacional também permite uma gestão funcional do negócio. Isso porque ele mostra quais pontos podem ter uma redução de custos sem prejudicar as operações internas.

Como calcular o lucro operacional?

O indicador do lucro operacional pode ser encontrado no demonstrativo de resultado do exercício da empresa. Ou seja, sua obtenção é feita a partir dos próprios resultados contábeis da organização. Para isso, três cálculos podem ser realizados:

  • Lucro operacional = Receita – despesas operacionais
  • Lucro líquido + juros + impostos
  • Lucro operacional = Lucro Bruto – Despesas operacionais – Receitas operacionais

Calcular o lucro operacional não é algo tão complicado, como veremos a seguir.

Lucro operacional = Receita – despesas operacionais

Para a primeira fórmula, vamos supor que a receita do seu negócio foi algo em torno de R$ 100.000 e as despesas operacionais ficaram em torno de R$ 20.000. Para descobrir o lucro operacional, basta subtrair o segundo valor do primeiro.

Lucro operacional = 100.000 – 20.000

Lucro operacional = 80.000

O lucro operacional da empresa é de R$ 80.000.

Lucro líquido + juros + impostos

A segunda fórmula é igualmente simples.

Vamos voltar ao montante de R$ 100.000 e vamos incluir um total de R$ 2.000 em juros e R$ 5.000 em impostos. Esse cálculo seria:

Lucro operacional = 100.000 + 2.000 + 5.000

Lucro operacional = 107.000

O resultado final de lucro é R$ 107.000.

Lucro operacional = Lucro Bruto – Despesas operacionais – Receitas operacionais

E para a fórmula final, vamos considerar um lucro bruto de R$ 105.000, as despesas operacinais de R$ 25.000 e as receitas operacionais em R$ 30.000. O cálculo ficaria assim:

Lucro operacional = 105.000 – 25.000 – 30.000

Lucro operacional = 50.000

Então, o lucro operacional é de R$ 50.000

Em relação às despesas operacionais, lembre-se que são consideradas apenas as das atividades-fim da empresa. Ou seja, são aquelas administrativas, operacionais e comerciais.

Na segunda fórmula, os impostos e juros sobre o indicador de lucro líquido contribuem para que a visão sobre o lucro operacional não fique dispersa, já que são fatores meramente financeiros.

Por fim, as receitas operacionais seguem a mesma lógica das despesas. Correspondem apenas às operações centrais do negócio. Basta então subtraí-las do lucro bruto para obter o resultado. 

Como você pôde ver, é extremamente fácil entender como calcular o lucro operacional da sua organização. Mas qual será a sua utilidade para os gestores, e como ele pode determinar o sucesso dos negócios?

Como analisar o lucro operacional 

Em primeiro lugar, o lucro operacional é muito utilizado por investidores. Isso porque ele aponta a saúde financeira da empresa e a capacidade que suas operações têm de lucrar.

Quando alguém escolhe uma empresa listada na bolsa, é importante entender qual sua capacidade lucrativa em relação às atividades-fim, sem depender de outras áreas de apoio.

Entretanto, o indicador não é relevante apenas para quem investe. Os próprios gestores devem analisá-lo no demonstrativo de resultados para saber se os negócios vão bem. Afinal, um lucro operacional positivo demonstra que as operações da organização são capazes de dar retorno.

Isso quer dizer que o andamento de suas atividades é saudável. Por outro lado, números negativos são sinal de alerta quanto à viabilidade das operações realizadas. 

Outro ponto importante é que o lucro líquido nunca pode ser maior que o lucro operacional. Isso indicaria que a maioria das entradas não estão relacionadas às práticas de base da empresa. Nessas situações, outras captações monetárias podem estar mantendo os rendimentos e “mascarando” a ineficiência dos processos.

Para finalizar, vale reforçar que não basta apenas saber como calcular o lucro operacional para garantir uma boa gestão. Tanto para escolher um investimento quanto para gerir uma empresa, seu uso deve ser contextualizado com outras métricas.

Quer descobrir como ter uma visão mais organizada e abrangente sobre os seus resultados e recursos? Descubra como um bom software de gestão de processos pode lhe ajudar a controlar sem erros o seu lucro operacional e os demais indicadores da sua empresa.

Escrito por
Team Pipefy

Receba nossas postagens no seu e-mail