Fluxo de caixa: descubra o que é e como controlar de maneira eficiente

Verdade seja dita: qualquer pessoa que abre um negócio tem como objetivo ganhar dinheiro, isso é fato. A menos que a intenção seja criar uma ONG, ainda assim, ela irá precisar de capital para se manter.

Contudo, de nada adianta apenas acompanhar a entrada de dinheiro sem levar em consideração a saída, os custos fixos e variáveis para manter o negócio, fornecedores, funcionários, entre inúmeras outras coisas.

É nesse cenário que atua o fluxo de caixa, para organizar as finanças e ter mais controle sobre as entradas e saídas. Se você quer aprender como funciona esse processo, continue a leitura desse texto.

O que é fluxo de caixa?

O fluxo de caixa é o processo no qual se acompanha a movimentação financeira de uma empresa, seja ela de pequeno, médio ou grande porte ou até um modesto empreendimento local, loja física ou virtual. 

Em resumo, qualquer negócio que envolva entrada e saída de dinheiro, precisa ter um fluxo de caixa. Ele é essencial para o controle monetário e deve registrar de forma detalhada os ganhos e gastos, de forma disciplinada, com a menor margem de erro possível.

Para que esse processo seja eficaz, é importante registrar todas as receitas e despesas, por menores que elas sejam. De acordo com o fluxo da movimentação, é definido se os registros serão feitos de maneira diária, semanal, quinzenal ou mensal.

Geralmente, pequenas empresas costumam utilizar planilhas, e ainda existem aquelas que são adeptas do famoso “caderninho”, como pequenos comércios locais, padarias etc.

O mais importante é registrar! Contudo, se você tem um negócio um pouco maior e um fluxo de caixa mais movimentado, recomenda-se utilizar ferramentas mais completas, como, por exemplo, um sistema de gestão online.

Com um bom fluxo de caixa, é possível ter uma visão mais ampla e precisa sobre a situação financeira da empresa, os períodos com ganhos ou despesas maiores e qual o melhor momento para investir ou reter os recursos.

Fluxo de caixa projetado

Já entendemos o funcionamento do fluxo de caixa como forma de compreender a realidade financeira de um negócio. A maneira como as informações levantadas são utilizadas como ferramenta de gestão é muito importante.

Não basta apenas mensurar, é preciso utilizar as informações para um fim. A isso é chamado fluxo de caixa projetado. É o processo de planejar as ações que serão executadas com base no levantamento financeiro realizado.

Há três funções básicas do fluxo de caixa projetado:

  • Organizar e projetar a realização das entradas (recebimentos) e saídas (pagamentos)

  • Corrigir e definir ajustes para conter despesas e sair do negativo

  • Projetar investimentos com base no crescimento e expansão do negócio

  • Compreendemos o fluxo de caixa projetado então como uma análise do agora, porém, pensando no amanhã. É nesse cenário que situações como gastos maiores do que a receita, prazos desalinhados entre recebimento e pagamento irão aparecer no processo de acompanhamento financeiro.

    Tendo esses resultados mensurados, é possível elaborar estratégias para resolver esses problemas. Utilize tudo o que puder ao seu favor, como, por exemplo, gráficos, que são ótimos para compreender de maneira clara os altos e baixos da sua empresa.

    Fluxo de caixa livre

    O fluxo de caixa livre mensura a capacidade da empresa de gerar capital em curto, médio e longo prazo. Ele considera o saldo disponível em caixa após o desconto de despesas fixas.

    Para que isso funcione, é preciso ter dois relatórios com projeções distintas: um com resultados estimados para um período entre 60 e 90 dias, e outro considerando um período maior estimado em 2 e 5 anos.

    Dessa forma, é possível acompanhar o desempenho da empresa com relação ao capital, se além do capital de giro há uma reserva sem movimentar há algum tempo. É necessário haver um equilíbrio nas finanças, para não ter capital parado e nem ficar no vermelho.

    Os planos em longo prazo como quitar dívidas altas, abrir uma nova filial, solicitar um empréstimo, ampliar o estoque ou até encerrar as atividades da empresa, podem ser alicerçados nos resultados obtidos com o fluxo de caixa livre.

    Quais são os principais benefícios?

    Utilizar o fluxo de caixa no dia a dia de uma empresa pode proporcionar diversos benefícios a ela. Confira alguns desses benefícios a seguir:
    Evitar gastos desnecessários. Com todas as despesas registradas no fluxo de caixa, é possível compreender, reduzir e otimizar o uso do capital no seu negócio. Dessa forma, há grandes chances de sobrar mais dinheiro para ser investido em áreas importantes como contratação de funcionários, compra de equipamentos e expansão do local de trabalho.

    Garantir que as obrigações sejam cumpridas. Contas acumuladas indicam que pode haver falhas no setor contábil. Garantir que notas fiscais sejam emitidas de maneira correta e as contas sejam pagas em dia, garantem que a reputação da empresa não seja manchada no mercado. O cumprimento das obrigações financeiras é primordial em um negócio.

    Melhorar a tomada de decisão. O acompanhamento do fluxo de caixa demonstra a situação financeira da empresa com detalhes como investimentos, custos, projeções e entradas de capital. Dessa forma, é possível prever os lucros ou os prejuízos futuros, de forma a facilitar a tomada de decisões.

    Controle no fluxo de caixa

    Para manter a “saúde financeira” de uma empresa é preciso ter um controle de caixa rigoroso. Não se deve negligenciar o que é indicado pelos relatórios. Os números não costumam mentir!

    É importante atualizar periodicamente o fluxo de caixa, para garantir resultados mais precisos. Números desatualizados podem levar a equívocos e interpretações errôneas sobre a real situação financeira. 

    Vale lembrar que o saldo final de caixa não indica, necessariamente, o cenário financeiro da empresa. O que mostra isso é a movimentação de entrada e saída, que demonstra se de fato se está tendo lucro ou prejuízo.

    Um saldo elevado, seja ele positivo ou negativo, indica um sinal de alerta. Isso implica custos operacionais elevados, no caso do saldo negativo, ou, um valor que poderia ser utilizado como oportunidade de aplicação (juros ou adiantamento junto aos fornecedores a fim de garantir bons descontos), no caso do saldo positivo.

    Depois de compreender como funciona o fluxo de caixa, vale ressaltar que esse processo de maneira isolada não garante o sucesso financeiro da empresa e nem as respostas para todos os problemas.

    Ele é um instrumento que pode auxiliar no planejamento empresarial, fornecendo um diagnóstico da situação financeira a fim de apontar problemas a serem solucionados, oportunidades de economizar ou investir.

    Vale lembrar que o saldo final de caixa não indica, necessariamente, o cenário financeiro da empresa. O que mostra isso é a movimentação de entrada e saída, que demonstra se de fato se está tendo lucro ou prejuízo.

    Você costuma utilizar o fluxo de caixa? Tem alguma dica boa que não apareceu aqui no post?

    Written by
    Alessandra Oliveira
    Graduated in Business Administration, with more than 10 years of experience in the financial area. She worked in different branches of industry and commerce, until starting in the universe of startups in 2018, where he took over the financial area and BackOffice processes of Pipefy.
    Solicite uma demonstração