Como Pipefy e IBM navegam o cenário digital com soluções low-code

Karina Corona

Não se pode atingir a transformação digital com uma única ferramenta. Profissionais que trabalham atualmente com operações de negócios ou de tecnologia estão cercados por caminhos diferentes que levam à transformação digital. Do RPA ao BPA, passando por automação de tarefas e processos e por BPM — e cada um deles promete ser a solução para todos os problemas nesse cenário digital.

Há diversos modos de navegar essa transformação digital. Mas para realizar uma reformulação digital completa, as empresas precisarão contar com ferramentas que se complementem. Na primeira parte da série de webinars, palestrantes da Pipefy e da SoftBank discutiram os verdadeiros custos e benefícios das soluções low-code.

Na segunda parte da série de webinars sobre low-code da Pipefy, Guilherme Novaes (Diretor de Ecossistema na IBM Brasil) e Adolfo Chandeck (Gerente de Parcerias Estratégicas na Pipefy) criam pontes entre diversas ferramentas de transformação digital e discutem como soluções low-code podem complementar iniciativas de automação.

Abaixo, apresentamos um resumo dessa discussão, seus principais aprendizados, uma breve história da parceria entre IBM e Pipefy, e previsões para o futuro próximo da área de tecnologia.

Reveja a primeira parte da série de webinars sobre low-code — com Carlos Cima, VP de Tecnologia da SoftBank Group International, e Ananth Avva, Presidente e COO da Pipefy — e entenda por que soluções low-code são a chave para a transformação digitalAssista ao webinar: O futuro da TI é low-code (em inglês)

Como IBM e Pipefy trabalharam juntas para escalar automação e acelerar transformação digital

Em 2021, a Pipefy se juntou ao programa de inovação aberta da IBM — IBM Open Ventures — para ajudar a amadurecer startups e scale-ups pelo Brasil.

“Quando começamos o programa, percebemos que há certos aspectos da transformação digital que têm lacunas, e que há empresas que estão realmente avançando para preencher essas lacunas”, disse Novaes. Para trazer o máximo de valor aos clientes da IBM, a equipe de Novaes procurou por uma solução e encontrou o Pipefy.

Uma vez que a equipe começou a entender as capacidades do Pipefy e seu posicionamento como um fornecedor low-code de automação e orquestração de processos, ficou claro como a ferramenta poderia ser aproveitada.

“Notamos diversas sinergias que poderiam agregar diferentes aspectos e qualidades para nossos clientes”, prosseguiu Novaes. “Somos muito fortes no espaço de TI, mas o lado de negócios precisa de mais facilidade, mais simplicidade. Então quando  olhamos para o que o Pipefy pode oferecer aos nossos clientes, vemos uma sinergia — IBM com TI e Pipefy do lado de negócios. Quando ligamos esses pontos, pudemos propor uma solução mais ampla, garantindo que a aceleração dos negócios não vai diminuir por causa de restrições do processo ou dos desafios que a TI tem todo dia.”

Por meio do programa IBM Open Ventures, que provê apoio comercial e técnico ao ecossistema local de negócios, a startup global de gestão de workflows e processos de negócios poderá promover transformação digital em grande escala.

Com auxílio da plataforma da Pipefy, clientes da IBM agora conseguem reduzir o tempo de implementação de meses para dias, com um custo também menor. “O Pipefy tem o mesmo DNA da perspectiva da segurança e da maneira como entregamos soluções”, disse Novaes. “Nós combinamos tecnologias diferentes e entregamos uma solução completa ao consumidor.”

“Nós nos complementamos e temos muita sinergia trabalhando juntos”, acrescentou Chandeck. “Temos as nossas forças, e a IBM tem muitas outras em áreas como analytics com inteligência artificial e machine learning. Então nós apenas acrescentamos a esse ecossistema e criamos juntos um produto com mais sinergia.”

Abraçando ferramentas low-code: mudança na mentalidade de comprar vs criar

Escala. Velocidade. Aceleração. Antes de março de 2020, esses fatores já eram importantes, mas não estavam em primeiro plano. Depois dessa data, priorizar esses elementos tornou-se uma questão de sobrevivência.

“Em uma empresa de TI, às vezes é necessário muito tempo e investimento para criar algo do zero, de dentro para fora”, disse Novaes. “Então quando unimos o BPA do Pipefy com as ferramentas de automação da IBM, começamos a ter uma conversa diferente com os clientes, porque não era mais só questão de resolver problemas.”

“A Pipefy e a IBM querem proporcionar ferramentas que empoderam o usuário final”, disse Chandeck. “Se você apresenta uma plataforma capaz de criar aplicações que não exigem conhecimento extensivo de linguagens de programação, então você empodera mais aquele usuário final. Aí você acrescenta a isso a funcionalidade da IBM, e com o Pipefy conectado, conseguimos criar essas soluções elegantes e impressionantes que incorporam uma inteligência tremenda.”

Qual é a diferença entre BPA e RPA? Descubra qual é o melhor para o seu negócioSaiba mais

Por que é importante evitar soluções “band-aid” para processos?

No cenário digital atual, abordagens isoladas de automação não funcionam mais, assim como soluções “band-aid” que resolvem de modo rápido e provisório um único problema.

“Como a aceleração da transformação foi enorme nos últimos anos, algumas empresas construíram sistemas open source que resolvem problemas, e essas soluções até funcionam bem”, disse Novaes. “Mas quando você chega a um nível enterprise, precisa de ferramentas mais robustas e flexíveis.”

Diante das incontáveis soluções disponíveis hoje para usuários —  de BPA a RPA, incluindo BPM e mais — empresas precisam adotar uma abordagem holística para melhorar sua eficiência e a experiência de seus clientes, em vez de criar soluções “band-aid” que resolvem um só problema. Para atingir esse objetivo, Chandeck recomenda dar um passo para trás, analisar o que você está tentando automatizar e refletir sobre por que quer fazê-lo.

“Você vai precisar ser capaz de mensurar”, disse Chandeck. “Quando você tem a espinha dorsal de BPM e BPA, você pode olhar para os sistemas de maneira holística. Ninguém vai querer automatizar um processo ruim. Isso não vai trazer bons resultados no final das contas.”

O cenário digital de hoje: próximos passos da automação

A Gartner estima que até 2025, a dependência de consultores externos deverá aumentar como resultado do abismo cada vez maior entre as ambições das organizações e seus recursos internos e capacidades.

Conforme os negócios trilharem suas jornadas de transformação digital, serão necessárias diversas soluções para organizar e adaptar processos de maneira a realizar essa transformação. O início desse caminho é mudar o uso de automação de uma vantagem rápida para uma solução holística que seja mutuamente benéfica para diversas equipes, incluindo TI.

“Há rumores e ideias pessimistas sobre automação, mas a realidade é totalmente diferente”, disse Novaes. “O que está acontecendo é que novas capacidades e habilidades são necessárias, e a combinação de humanos com inteligência artificial está se tornando mais poderosa.”

“Hoje nós falamos sobre automação de processos de negócios, mas na verdade trata-se de automação inteligente de processos de negócios”, acrescenta Chandeck. “A partir do momento em que  os processos têm inteligência suficiente para se ajustarem conforme as circunstâncias mudam e possam ser realizados sem intervenção humana, temos um fluxo que proporciona muito mais eficiência.”

Perdeu o evento ao vivo? Assista à conversa completa e descubra como as soluções low-code podem complementar os esforços de automação da sua empresaAssista: Como IBM e Pipefy navegam pela transformação digital (em inglês)
Escrito por
Karina Corona
Jr. content writer @ Pipefy. I write about process optimization, digital tools, and how teams can leverage automation to free themselves from hours of boring, repetitive work.

Receba nossas postagens no seu e-mail