O que aprendi sobre email marketing escrevendo 90 emails em uma semana

Thais Macedo
Email marketing

Como muitos profissionais de marketing, já exerci várias funções na área: de revisão a mídias sociais, de analista de marketing de produto a redatora de anúncios. Mas devo admitir que os emails têm um lugar especial no meu coração.

Emails são muito mais pessoais que um anúncio, podem gerar resultados rápidos e são (quase) gratuitos. Eles também são uma ótima maneira de colocar em prática uma das habilidades que mais gosto de exercitar: a escrita.

Por isso, durante uma reestruturação do departamento de marketing do Pipefy, pedi para fazer parte dos esforços relacionados à estratégia de email. Consegui entrar para o time e recebi o desafio de planejar, escrever e criar 90 emails em poucos dias (spoiler: não terminei a tempo).

O que eu aprendi nesse processo? Vem conferir.

É necessário mais tempo para planejar do que escrever 

A escrita em si não é a parte mais difícil. Levei menos de uma semana para terminar a redação dos emails. O que atrasou minha entrega foi não levar em conta o tempo que gastaria planejando o conteúdo.

Quando falo em planejamento, quero dizer estudar, fazer benchmarking e decidir quais informações, links, imagens e CTAs (chamadas para ação) estariam em cada uma das mensagens. Vivendo e aprendendo; para o sprint seguinte, estruturei um cronograma muito mais realista.

Seu rascunho inicial não chegará à caixa de entrada de ninguém – por melhor que esteja

Escrever é um processo e, geralmente, a primeira coisa que você escreve não é o melhor que pode criar. Tudo bem! Uma boa dica é evitar se apegar demais ao texto e não ter medo de editar e cortar trechos. 

Esta dica é especialmente valiosa na redação de um email marketing. Quanto mais curto o texto enviado, maior a chance de seus possíveis clientes lerem até o final.

A criatividade não floresce no cansaço

Um escritor cansado produz textos chatos. Escrever tem muito mais a ver com técnica do que inspiração, mas se você estiver olhando para uma página em branco por 40 minutos, pare de se torturar e faça uma pausa.

Usar as ferramentas certas evita muitos problemas

Não estou falando de ferramentas de email (mesmo que elas sejam cruciais para esta tarefa). Estou falando do meu aplicativo favorito: Pipefy.

Sem ele, não teria conseguido terminar de escrever os emails. Não vou analisar a questão filosófica de que, sem o Pipefy, eu obviamente não teria que escrever 90 emails sobre o Pipefy. O que quero falar é sobre o uso da ferramenta para organizar os materiais necessários para construir os emails: ilustrações e vídeos da equipe de design, traduções, casos de uso e postagens da equipe de conteúdo.

Se você tem um time dedicado à criação de emails marketing, deveria considerar uma ferramenta de gerenciamento de processos como o Pipefy. Com ele, pude solicitar muito rápido aos meus colegas tudo o que precisava, acompanhar à qual etapa do processo cada solicitação pertencia e receber os materiais assim que ficavam prontos. 

Com emails não tem “fim”

O trabalho com os emails não termina. Agora que minhas mensagens estão espalhadas pelo mundo, vou continuar trabalhando nelas: acompanhando estatísticas, melhorando e atualizando o texto e estruturando novas sequências para que nossos usuários sempre estejam em contato com a gente.

Quer ler alguns dos emails dos quais tanto falei? Fácil: tudo o que você precisa fazer é se inscrever no Pipefy. Em um minuto, estarei na sua caixa de entrada 🙂

Written by
Thais Macedo
With experience in journalism and Digital Marketing, Thaís loves writing, traveling and learning new things.

Receba nossas postagens no seu e-mail

Solicite uma demonstração