Melhores indicadores de produtividade para sua operação

Team Pipefy
Mulher negra trabalhando com fones de ouvido e computador

Todo empreendedor sabe que o nível de performance interno está diretamente relacionado à competitividade e à lucratividade das empresas. Isso significa que monitorar os indicadores de produtividade é fundamental para uma operação bem-sucedida.

De forma resumida, eles correspondem a métricas que visam determinar o grau de desempenho dos colaboradores ou da organização como um todo, relacionando a capacidade produtiva aos recursos investidos para viabilizá-la.

O objetivo de qualquer negócio é produzir mais com menos gastos e em um menor período de tempo, e isso só é possível por meio da otimização dos processos. Naturalmente, essa capacidade de aprimoramento depende de uma visão completa e realista das ações adotadas.

Mas, quais são os indicadores de produtividade mais adequados para atingir esses objetivos? Como utilizá-los de maneira eficiente? Descubra a seguir.

Quais os principais indicadores de produtividade? 

Como qualquer métrica de desempenho, diversos indicadores de produtividade podem ser utilizados para obter insights diferentes. 

Isso significa que você precisa compreender as metas da sua empresa e elencar apenas os indicadores que são realmente relevantes para atingi-las. 

Inclusive, quando falamos sobre performance e desempenho, as opções são tantas, que as métricas são divididas em três categorias distintas:

  • Indicadores de capacidade: dizem respeito à capacidade produtiva da organização e são medidos por meio de fatores como número de colaboradores, receita total, matéria-prima disponível, entre outros semelhantes;
  • Indicadores estratégicos: são aquelas informações que dizem respeito aos objetivos do negócio, como dados de crescimento, lucratividade, etc.;
  • Indicadores de qualidade: como o nome indica, apontam o grau de qualidade do produto ou serviço vendido, apontando a satisfação dos consumidores e possíveis gargalos que exijam aprimoramento. 

Não existem indicadores de produtividade prontos, essas métricas dependem da sua realidade organizacional, vamos elucidar melhor o seu uso por meio de algumas das métricas mais utilizadas para medir o desempenho dos negócios. São elas:

Custo de Aquisição de Clientes

Conhecido pela sigla CAC, esse indicador aponta quanto a sua empresa investe para conquistar novos clientes. Ou seja, quanto menor for o número apontado, maior é a eficiência para garantir novos consumidores.

Para calculá-lo, basta somar todos os valores investidos para prospectar o público (seja em vendas, marketing, RH, e assim por diante) e então dividir pelo número de novos clientes. 

Churn

Também chamado de índice de cancelamento, ele aponta a taxa de clientes que a organização perdeu em certo período de tempo. Evidentemente, ele deve ser o mais baixo possível.

Caso o churn seja alto, é sinal de que otimizações precisam ser feitas nas estratégias ou nas próprias soluções vendidas. Para determinar as melhorias, é importante analisar o índice junto de outros indicadores. 

Ticket Médio

Trata-se de um KPI que indica qual é o valor médio que os clientes gastam no seu negócio a cada compra. Quanto maior for o ticket médio, melhor é a sua capacidade de gerar receita.

Seu cálculo considera o faturamento mensal dividido pelo número de clientes ativos no mês em que a análise em questão é feita. 

ROI

Corresponde à sigla para Return On Investment, ou Retorno Sobre o Investimento. É uma das métricas mais utilizadas no mundo corporativo, servindo para avaliar o quanto você ganhou depois de investir em determinada ação. 

A partir da relação entre o valor inicial direcionado ao projeto e o retorno obtido a partir dele, você consegue concluir se ele foi viável ou se trouxe prejuízos.

Assiduidade dos colaboradores

Ao relacionar o número de horas trabalhadas efetivamente pelo seu time com o total de horas previstas nas jornadas de trabalho, você consegue obter o indicador de assiduidade.

Ele é de suma importância para entender a frequência de faltas e atrasos, que estão diretamente relacionados ao rendimento da sua equipe e à capacidade que sua empresa tem de engajar as pessoas para escalar suas operações. 

Vale ressaltar que esses são apenas alguns indicadores de produtividade, e que a lista poderia ser muito mais extensa. Não vale aqui mencionar todas as métricas possíveis, que são inúmeras. Esses casos apenas demonstram quais são as possibilidades que seu negócio tem de medir seu desempenho, mas tudo varia de acordo com sua realidade, objetivos e com o próprio segmento de atuação.  

Quais são as vantagens de aplicar os indicadores?

Com objetivos bem definidos e métricas capazes de apontar se eles estão efetivamente sendo cumpridos, a tomada estratégica de decisões é significativamente favorecida. 

Isso significa que os indicadores de produtividade permitem ajustar os rumos da sua empresa para que ela seja mais bem-sucedida em suas ações, visando a melhoria contínua de seus processos. 

Entre seus benefícios mais significativos, podemos destacar:

  • Capacidade de visualizar tudo o que acontece na organização, o que inclui o que precisa ser melhorado, o que pode ser mantido, oportunidades a serem exploradas, entre outros pontos semelhantes;
  • Garantia de decisões mais realistas, que deixam de ser motivadas por argumentos pouco embasados ou meramente intuitivos;
  • Melhor capacidade de organizar os processos internos e de otimizá-los constantemente conforme as demandas internas e externas;
  • Acesso a informações precisas, que resultam no aumento da qualidade das entregas;
  • Maior engajamento dos colaboradores, que entendem melhor o que precisa ser atingido, o que deve ser melhorado e quais são os resultados efetivos de suas ações.

Como a tecnologia facilita o acompanhamento desses indicadores?

Mesmo que os indicadores de produtividade sejam fundamentais para as empresas, muitos empreendedores têm dificuldades para utilizá-los, sendo que em alguns casos eles até mesmo são negligenciados por conta de sua complexidade.

Afinal, a coleta de informações referentes a inúmeros processos, a organização correta dos dados e a análise dos seus resultados de fato é uma tarefa trabalhosa, que pode exigir tempo e também ser passível de erros caso seja feita manualmente.

Felizmente, hoje em dia todas essas demandas são atendidas pela tecnologia, que automatiza toda a obtenção e interpretação das métricas, fornecendo resultados práticos, rápidos, intuitivos e mais precisos. 

Isso significa que os melhores sistemas são capazes de atender a essa necessidade indispensável para o desempenho das organizações, tornando tudo mais simples e garantindo uma capacidade de decisão e de aprimoramento ainda mais elevada. 

Como adaptar alguns indicadores para meu tipo de operação?

Para adaptar os indicadores de produtividade à realidade da sua operação, primeiro você precisa ter clareza quanto aos seus objetivos e, a partir deles, determinar exatamente o que deve ser monitorado para determinar seu cumprimento. 

Uma vez que a tecnologia é protagonista no uso das métricas, você também deve escolher um sistema que permita coletar os dados necessários e interpretar os KPIs pretendidos, com uso de filtros específicos para diferentes cenários e a elaboração de relatórios intuitivos para favorecer sua tomada de decisão.

Além de avaliar a cobertura da tecnologia perante seus indicadores, analise a qualidade do fornecedor, o suporte oferecido e se o software pode ser escalado para acompanhar as demandas futuras de crescimento da sua empresa. 

A Pipefy é referência nessa área e pode lhe ajudar a implementar fluxos de trabalho mais eficientes, flexíveis e com capacidade contínua de aperfeiçoamento a partir dos melhores indicadores de produtividade. Clique aqui e saiba mais sobre a solução.

Escrito por
Team Pipefy

Receba nossas postagens no seu e-mail

Solicite uma demonstração