Você sabe o que é turnover? Entenda melhor e saiba identificar na sua empresa

Como diminuir o turnover

O setor de Recursos Humanos de uma empresa enfrenta diariamente muitos desafios. Entre eles, certamente um dos mais difíceis é o turnover. Trata-se do índice de rotatividade de colaboradores de uma organização em um determinado período de tempo.

Esse índice é um dos mais importantes para o RH. Esse setor deve identificar as taxas de turnover da empresa, compreender o que as está causando e tentar revertê-las, a fim de reduzir custos e melhorar o clima organizacional.

Neste artigo, vamos tentar esclarecer diversas dúvidas relacionadas ao turnover: entender o que é, qual a sua importância, quais os tipos e como identificar. Se você quer saber mais, continue a leitura.

O que é Turnover?

O turnover nada mais é que a taxa de rotatividade de colaboradores, ou seja, a quantidade de pessoas que saem de determinada empresa dentro de um período de tempo específico (em geral, um ano).

A forma de mensurar essa rotatividade pode ser diferente em cada organização. Por exemplo, é possível calcular o turnover da empresa como um todo, considerando o número total de funcionários, ou por departamentos individuais.

Toda empresa tem uma taxa de rotatividade. Contudo, taxas muito altas podem indicar problemas como má administração, pouca ou nenhuma infraestrutura, remuneração abaixo da média, baixa motivação, entre outros.

Em contrapartida, por incrível que pareça, um índice muito baixo de turnover também não é um bom sinal. Isso pode indicar que a equipe não está sendo renovada, mantendo pessoas pouco engajadas e deixando de contratar novos colaboradores dispostos a dar o máximo de si.

Assim, o índice de rotatividade não é necessariamente ruim. Ele pode trazer vantagens de acordo com os objetivos da empresa. Isso porque o turnover pode impulsionar melhorias nos processos e no comportamento interno da organização, a partir da análise aprofundada das causas e efeitos dos desligamentos.

Importância e Índice

Verificar constantemente os índices de turnover é muito importante para a empresa, pois eles são uma soma de fatores internos e externos, que precisam ser considerados. A alta rotatividade de colaboradores pode ter um custo muito alto para as empresas.

Além disso, muitas pessoas evitam entrar em organizações com alto índice de rotatividade, pois temem a falta de estabilidade profissional. Um pedido de demissão em massa, por exemplo, pode indicar a existência de um ou mais fatores que talvez motivem os colaboradores a se desligar da empresa.

Sendo assim, somente contratar novos colaboradores não irá resolver o problema de forma completa, e sim apenas preencher as vagas que foram desocupadas. Para resolver de fato um alto índice de turnover, é preciso verificar quais os motivos por trás dele, e, se necessário, modificar processos ou condutas.

Muitas empresas não dão a devida importância ao turnover. Mas ele pode ser um ótimo termômetro para saber como anda o seu clima organizacional. O índice deve ser bom se você almeja se destacar no mercado como uma boa empresa em que se trabalhar. Tal reputação é essencial para quem quer atrair bons profissionais.

É importante controlar os índices de turnover para que os desligamentos não se tornem algo corriqueiro. Isso pode afetar a estabilidade da organização como um todo, a motivação dos colaboradores e até mesmo a relação com os clientes.

Tipos de turnover

Não há apenas uma razão para que colaboradores peçam o desligamento ou sejam demitidos de uma empresa. Diversas situações internas e externas, como insatisfação com a equipe ou com o trabalho, a remuneração, outra oportunidade de emprego e aposentadoria, podem contribuir para a rotatividade.

Por isso, é importante saber diferenciar os tipos de turnover. Isso facilitará o entendimento das diversas situações em que ele se apresenta, e como elas poderão impactar a empresa. Para te ajudar, listamos abaixo os tipos. Confira:

Turnover voluntário e involuntário

O turnover voluntário é quando o desligamento é uma decisão do próprio colaborador, que está insatisfeito ou aceita outra oportunidade de trabalho. Já o turnover involuntário é quando a iniciativa é da organização. A empresa demite um colaborador por alguma razão pontual de desempenho ou de reestruturação organizacional.

Cada uma das situações exige uma solução diferente. Para controlar o turnover voluntário em sua empresa, por exemplo, é preciso compreender de forma clara a razão pela qual os colaboradores pediram o desligamento. Então é possível definir estratégias para gerenciar essa rotatividade, que pode ser prejudicial caso não seja controlada.

Turnover voluntário funcional e disfuncional

Outra importante divisão é a do turnover voluntário em funcional e disfuncional. O disfuncional pode ser prejudicial à organização, pois é relacionado ao desligamento de colaboradores com habilidades que são difíceis de substituir. Ele pode resultar em altos custos com a contratação de outro colaborador com a mesma competência.

Já o turnover funcional pode ocasionar um impacto menor, pois representa a saída de colaboradores com baixo desempenho e pouco engajamento. Esses colaboradores podem ser mais facilmente substituídos por novos talentos, que estejam motivados e queiram crescer profissionalmente.

É importante deixar claro que os critérios que classificam a rotatividade entre funcional e disfuncional são relativos. Afinal, as características que tornam um colaborador difícil de ser substituído variam de acordo com a função desempenhada, os princípios da organização, entre outros fatores.

Turnover disfuncional evitável e inevitável

Saber distinguir entre o turnover evitável e inevitável é essencial. Não é vantajoso para uma empresa investir na redução de turnover ocasionado por razões inevitáveis.

Contudo, nem sempre é fácil estabelecer a diferença entre as duas circunstâncias. Algumas situações estão fora do controle da empresa, como quando uma colaboradora decide começar ou aumentar uma família, por exemplo. Apesar de inevitável, talvez seja possível que a empresa opte por oferecer uma licença-maternidade remunerada, como forma de evitar o desligamento, além de outros benefícios que ajudem a colaboradora a permanecer na organização.

Como identificar

 Em geral, índices adequados de rotatividade refletem a real necessidade de mudança na organização. Para identificar os índices de turnover e ter um claro diagnóstico a respeito das demissões, algumas situações precisam ser consideradas, tais como:

  • Interesse em renovar as equipes internas;
  • Necessidade interna de novas ideias, conceitos e visão de mercado para a organização;
  • Busca por conhecimentos específicos de acordo com a necessidade da empresa – situação na qual pode ser necessário substituir colaboradores pouco produtivos por pessoas com diferentes qualificações;
  • Mudanças estratégicas na empresa, sejam elas quais forem.

Se o índice de turnover da sua empresa está relacionado a alguma dessas questões, não há com que se preocupar, pois o impacto na organização é, em geral, positivo. É com os casos que podem impactar de forma negativa que devemos nos preocupar. A esses, é importante investigar mais a fundo.

Para isso, o setor de Recursos Humanos deve apostar em uma espécie de processo investigativo, que pode incluir avaliações de desempenho dos colaboradores que pediram demissão, e fichas e entrevistas de desligamento.

Nem sempre é fácil identificar a causa dos desligamentos. Assim, esse processo pode facilitar que o setor de RH entenda o que está motivando os altos índices de rotatividade. As causas podem ser desde um onboarding de colaboradores mal elaborado até um ambiente de trabalho pouco democrático.

Outra forma de obter as informações necessárias para a compreensão dos índices é uma pesquisa de clima organizacional. Com essas respostas, é possível não somente entender o índice de rotatividade, mas também resolver diversas questões internas.

Por fim, é importante ressaltar a importância das entrevistas de desligamento. Com elas, é possível entender a motivação por trás de cada demissão. Para que os entrevistados sejam honestos e forneçam dados relevantes, é essencial que se sintam realmente à vontade. Assim, a empresa poderá providenciar melhorias nas condições de trabalho e evitar futuros desligamentos.


Buscar formas de controlar e reduzir as taxas de turnover é muito benéfico para a empresa e contribui para o seu desenvolvimento. Por isso, é importante que o setor de RH desenvolva métodos de acompanhar e verificar esses índices com frequência.

Esperamos que o nosso conteúdo tenha te ajudado a entender melhor o que são os índices de turnover e qual o seu impacto nas organizações. Continue acompanhando o nosso blog se você quer saber mais sobre Recursos Humanos e muito mais.

Written by
Breno Dantas
Graduated in Business Administration, with more than 10 years of hr experience in large national and multinational companies of various segments. Currently is the manager of Remuneration and Management of Pipefy and passionate about what he does.
Solicite uma demonstração