Compras Diretas e Compras Indiretas: qual é a diferença entre elas?

Carina Bacelar
Uma mulher assina documentos em uma mesa cinza em frente a outra mulher

O departamento de compras é fundamental para que qualquer empresa tenha condições de manter suas atividades e entregar produtos e serviços. Ele é responsável por processos críticos, que incluem desde a negociação de preços e compra junto aos fornecedores até o recebimento dos produtos ou serviços adquiridos. 

Compras diretas e compras indiretas são duas categorias que diferem pelo destino final da aquisição. Essas particularidades interferem diretamente na abordagem de gerenciamento de cada tipo de processo. 

O que esses processos têm em comum é a necessidade de mais visibilidade e simplicidade — e consequente redução de erros que podem comprometer o orçamento. De acordo com a Gartner, 77% dos líderes de empresas declararam que suas compras mais recentes foram “extremamente complexas ou difíceis”. Parte do problema pode estar no próprio processo de compras diretas ou indiretas do cliente de negócios. 

Mas afinal, o que difere compras diretas de compras indiretas? E como é possível melhorar esses processos de forma rápida? Ao longo deste artigo, vamos explicar tudo o que você sempre quis saber sobre os tipos de compras e as particularidades da gestão de cada um deles. 

O que é um processo de compras diretas?

O processo de compras diretas lida com a compra de produtos ou serviços necessários para produzir valor para os clientes finais, e assim gerar receitas para a empresa. Ou seja, trata-se dos custos envolvidos para que sua atividade principal possa ser desempenhada. Matérias-primas necessárias em uma fábrica, por exemplo, fazem parte das compras diretas.

O que é um processo de compras indiretas?

O processo de compras indiretas é a aquisição de serviços ou produtos essenciais para o dia-a-dia das operações de uma empresa, mas que não faz parte do produto ou serviço comercializado por essa empresa. 

Bons exemplos de compras indiretas são combustíveis para automóveis corporativos, máquinas de café, a contratação de agências para viagens a trabalho, serviços de limpeza e muitos outros.

Aprenda a automatizar um processo da sua empresa em 5 passosLeia mais

Exemplos de processos de compras diretas e indiretas

Como mencionado, compras diretas envolvem recursos e serviços essenciais para o produto final, enquanto as compras indiretas miram nos custos operacionais. Por causa dessas diferenças, os processos de compras são influenciados pelos seguintes fatores: 

  • Inflexível vs flexível: O item comprado vem de um fornecedor específico toda vez? Ou os itens podem ser comprados de fornecedores diferentes com base no qual tem o melhor custo-benefício?
  • Essencial vs suporte: O que foi comprado é essencial ou não para terminar um produto?

Logo abaixo você encontra alguns exemplos de compras diretas e indiretas

Compras diretas: essenciais para produzir

Os exemplos de compras diretas variam de acordo com o tipo de indústria ou com o produto final que está sendo produzido. Geralmente, os itens garantidos pelo processo de compras diretas incluem:

  • Matéria-prima ou componentes mecânicos necessários para a produção de um produto.
  • Itens adquiridos diretamente de um armazém para revenda.

Compras indiretas: suporte para operações do dia-a-dia

O processo de compras indiretas abrange aquisições que ajudam o negócio a funcionar, mas não fazem parte da sua atividade-fim. Incluem:

  • Equipamentos e recursos para escritório.
  • Serviços de TI.
  • Serviços e materiais de Marketing.
  • Viagens.
  • Serviços de zeladoria das instalações.
  • Manutenção, Reparo e Operações (MRO).
As unidades de negócio precisam de agilidade. TI precisa de controle. Veja como soluções low-code entregam os dois.
Automação Low-code: Excelente para os negócios, ótima para o time de TI
Leia o relatório

Compras diretas vs indiretas: qual é a diferença?

O que diferencia compras diretas e indiretas é o objetivo atrelado à compra. Essa diferença pode ser divida em três fatores: o que será comprado, por que será comprado e como o item comprado será usado.

Compras indiretas afetam indiretamente o negócio, mas são fundamentais para os processos funcionarem. Compras diretas afetam diretamente um negócio porque o item comprado será usado para produzir o produto ou serviço final que a empresa comercializa.

Outra diferença entre as duas categorias é que, geralmente, as compras diretas focam em aquisições consistentes e essenciais para o negócio. Já as compras indiretas focam em compras espontâneas ou mais fluidas.

Abaixo, preparamos uma lista das principais diferenças entre compras diretas e indiretas:

TipoCompras diretasCompras indiretas
ObjetivoProdutos ou serviços essenciais que afetam a criação do produto finalProdutos ou serviços que ajudam nas operações do dia-a-dia
Modelo de gastosGastos centralizados e planejados com base nas necessidades dos clientesGastos descentralizados e flexíveis com base nas operações internas
PrioridadeA prioridade é construir um relacionamento com fornecedoresA prioridade é economizar dinheiro
ExamplosMatéria-prima, componentes mecânicos, trabalho manualMateriais de escritório, consultorias, serviços de tecnologia, manutenção, eventos
Automação low-code organiza processos e ajuda os times a se tornarem mais eficientesAprenda mais sobre BPA

Desafios que afetam as compras diretas e indiretas

Apesar de as categorias de compras diretas e indiretas terem suas diferenças, elas possuem desafios similares que incluem:

[H3] Relacionamento com fornecedores

O processo de compras diretas se preocupa em construir um relacionamento duradouro e confiável, enquanto que no processo de compras indiretas os relacionamentos são de curto-prazo já que impacta nos custos, orçamentos e/ou urgência.

Apesar dessa diferença, gerenciar e manter um relacionamento positivo com fornecedores é importante para ambos os processos. É por isso que um processo estruturado que facilita a comunicação e melhora a colaboração é essencial.

[H3] Gestão de inventário

Manter um inventário é um aspecto chave que garante que o seu negócio está funcionando sem qualquer pausa ou custos adicionais. Dependendo do(s) item(ns), não saber o que está disponível pode levar a grandes problemas — principalmente for é algo crítico como o conserto de um equipamento ou um componente mecânico.

[H3] Redução de custos

Não importa o tamanho do orçamento, encontrar maneiras de manter os custos baixos é sempre um objetivo que todas empresas querem alcançar. No entanto, sem acesso a informações como histórico de pagamentos, termos de contratos e descontos ou resultados dos processos de compras, torna-se difícil encontrar oportunidades para reduzir custos.
Sabe outra coisa que os desafios de processos de compras diretas e indiretas têm em comum? Eles se originam de lacunas que podem ser facilmente preenchidas com plataformas de automação low-code.

Encontre a plataforma de automação certa para o seu negócio com o Guia: Escolhendo a Plataforma de Automação IdealBaixe agora

5 formas de resolver desafios de compras com a automação low-code

A automação de negócios low-code oferece para os times de Compras os recursos necessários para manter o relacionamento com fornecedores, fazer a gestão de inventários e identificar oportunidades para otimizar as compras e reduzir custos:

  1. A automação low-code elimina tarefas manuais e repetitivas dos seus processos, com regras que qualquer um consegue configurar. Dessa forma, todo o fluxo de compras torna-se mais ágil e menos suscetível a erros, e os profissionais envolvidos nele têm mais tempo para focar em estratégias.
  2. Essa tecnologia centraliza informações, conectando-se com todas as outras plataformas que você já usa no departamento financeiro. O resultado são processos de compra mais controlados e unificados, e não a típica fragmentação de quem usa múltiplos sistemas e precisa inserir dados manualmente em cada um. 
  3. Em plataformas low-code como o Pipefy, você não precisa gastar dinheiro comprando permissões de usuários para os solicitantes — eles podem interagir com os times especializados por meio de formulários públicos, reunidos em portais. Isso também agiliza os processos, garante economia de recursos e melhora a comunicação entre as equipes. 
  4. Low-code significa que não é necessário conhecimento técnico ou de programação para escalar rapidamente soluções de compras. Isso significa que os próprios gerentes de compras podem construir um processo estruturado que promove transparência.
  5. Os processos automatizados oferecem dados em tempo real com painéis e relatórios. Com acesso a essas informações, é mais fácil identificar oportunidades para cortar custos, prever melhor os gastos e manter as necessidades do inventário.

A automação low-code facilita e padroniza a gestão de processos de compras. Reduz riscos, aumenta a visibilidade de ponta a ponta e permite que os times identifiquem oportunidades de economia de custos, focando nas necessidades dos clientes.

Veja porque os times de compras escolheram Pipefy para transformar as suas operaçõesSaiba mais
Escrito por
Carina Bacelar
Content writer @ Pipefy. Articles about tech trends, business practices, and process automation.

Receba nossas postagens no seu e-mail